Diferente de todos os títulos de tiro em primeira pessoa já lançados até então, nenhum deles retratou com autenticidade os horrores ocorridos durante um dos eventos mais desumanos terríveis da humanidade: O Holocausto.

Em fase de desenvolvimento, a Activision quer levar aos videogames os horrores jamais retratados anteriormente no seu novo título com temática da Segunda Guerra Mundial, o “Call of Duty: WWII”.

De acordo com o diretor de criação do jogo, Brett Robbins, a desenvolvedora jamais quis ser ofensiva, pelo contrário, buscam manter a história o mais fiel possível. De acordo com o diretor, “Coisas horríveis ocorreram durante a Segunda Guerra Mundial e não seria certo deixar isso pra lá”.

Robbins comenta que “Horrores serão mostrados no jogo, porém são parte da história e portanto não podem ser ignorados, se quisermos criar uma narrativa verdadeira”.

O diretor disse que além dos nazistas, soltados americanos também serão preconceituosos: a exemplo do que ocorrerá com um soldado conhecido como Zussman, que é judeu.

Brett Robbins afirma que por haver racismo e preconceito de diversas formas durante a Segunda Guerra, coloca os personagens do jogo ligados diretamente a tudo isso, pois de fato tudo isso existiu de verdade, faz parte da história.

De acordo com as informações do diretor criativo, fica evidente a preocupação de criarem um jogo que proporcione uma incrível imersão na história, mostrando todos os diferentes aspectos que levaram tantas pessoas às frentes de batalha durante o conflito.

Call of Duty: WWII será lançado dia 3 de novembro deste ano para Playstation 4, Xbox One e PC.