Sandy Wexler | Netflix: análise desta comédia com Adam Sandler

Sandy Wexler é um filme de comédia original Netflix, de 2018, trazendo Adam Sandler no papel principal.

O contrato de Adam Sandler com a Netflix começou em 2015 e tem sido muito bem sucedido. Ridiculous 6, Zerando a Vida,  Os Meyerowitz, Lá vem os Pais e Sandy Wexler são os principais títulos dessa parceria.

Até agora, foram realizadas cinco produções, mas existem outros filmes do ator disponíveis na plataforma de streaming.

Recentemente, a Netflix renovou o contrato do artista para mais quatro produções consecutivas.

Mesmo que alguns de seus filmes não tenham sido bem acolhidos pela crítica, Adam Sandler tem o Toque de Midas. O público adora Sandler e as bilheterias de seus filmes são sempre milionárias.

Por exemplo, Pixels, de 2015, faturou U$ 244 milhões para uma produção que custou U$ 88 milhões.

Assim como a maioria de seus filmes, Sandy Wexler foi produzido pela Happy Madison, que é do próprio ator. E, o roteiro também foi escrito por Adam Sandler em parceria com Dan Bulla e Paul Sado.

De qualquer modo, digam a crítica o que quiser, Adam Sandler vende. E vende muito bem.

Enredo

Sandy Wexler é um empresário artístico em Hollywood. Seus poucos clientes não são muito talentosos, mas ele se esforça para levá-los adiante, sem conseguir realmente nenhum roteiro excepcional.

Até porque, o personagem Sandy é um homem letárgico, antiquado, com fala arrastada, sem nenhum conhecimento tecnológico. Ele sequer tem uma casa própria.

Ele reside na casa da piscina da propriedade de Firuz, um milionário excêntrico que reside no exterior.

Sua única vantagem é conhecer VIPs, pessoas muito importantes do show business,  que lhe garantem bons contatos.

Entretanto, apesar disso, ele é muito ridicularizado por essas mesmas pessoas, que não o levam muito a sério.

Seus clientes são: Ted Rafferty, o ventríloquo, Amy Baskin, candidata a atriz, Gary Rodgers, o saltador de obstáculos.  Ainda, Bedtime Barnes, o lutador de luta livre e Kevin Connors, o comediante.

Antes desses, também havia Alfred, a quem Wexler considerava um grande amigo, mas que o despediu. Mais tarde, Alfred se tornou um grande sucesso.

Desse modo, a vida de Sandy é andar por Hollywood tentando conseguir boas oportunidades para seus clientes. Além disso, outro hábito do empresário é assistir a pequenas apresentações tentar descobrir algum novo “talento” para representar.

A história de Sandy altera completamente quando, um dia, por acaso, ao passear em um parque de diversões, ele encontra uma cantora com talento verdadeiro, Courtney Clarke. E que lhe dá um novo sentido de vida.

Atores e personagens

Adam Sandler é Sandy Wexler, principal protagonista;

Kevin James interpreta o ventríloquo;

Rob Schneider é Firuz, o dono da mansão em que Wexler mora;

Jackie Sandler interpreta a candidata a atriz Amy Baskin;

Nick Swardson interpreta Gary Rodgers;

Terry Crews é o lutador, Bedtime Bob Barnes;

Colin Quin é Kevin Connors, o comediante e

‘Weir Al’ Yankovic como Alfred.

Crítica: Sandy Wexler

Sandy Wexler é um personagem ingênuo, de bom coração e boa índole.

Embora pertença a uma indústria altamente competitiva e corrompida, Wexler valoriza muito bons sentimentos, o que fica evidente na sua conduta moral. Ele pensa que todos os seus clientes são seus amigos e os trata como tal.

O filme tem esse apelo: mostrar uma boa pessoa, competindo em um mundo que valoriza, sobretudo, a aparência.

Contudo, o ritmo do filme não é melancólico. Ao contrário, a história é contada de modo mais leve, tendendo a comédia, sobre a zona de conforto de Adam Sandler.

Entretanto, mesmo com essa classificação, olhando mais profundamente, o enredo impõe certa dramaticidade à atuação.

A triste vida de Wexler

Sandy Wexler é um homem solitário, desacreditado como profissional, sem êxito real, vivendo uma vida falsa. Só o amor teve o poder de levá-lo a ser em uma pessoa mais verdadeira.

É nesse contexto que a narrativa se apóia para transformar tão somente a “comédia” em romance com certo toque dramático. É um roteiro já extremamente mastigado, mas como diz o ditado “não se mexe em time que está ganhando”.

Sandy Wexler é uma comédia romântica, afinal das contas.

Assim sendo, a característica mais distintiva desse roteiro é seu caráter testemunhal. A história é contada pela ótica das testemunhas da vida e do trabalho do protagonista.

Ambientação

O filme se passa na década de 90 e começa em uma festa com grandes figuras do entretenimento americano. Judd Apatow, Lorne Michaels, Chris Rock, Dana Carvey, David Spade, entre outros. E, esta é, inclusive, uma característica constante nos filmes do ator. Ele sempre traz seus melhores amigos para participarem das suas produções.

Decerto que a localização temporal também é muito interessante porque foi o momento de grande visibilidade do próprio Adam Sandler.

A década de 90 foi o período em que ele fez estrondoso sucesso como integrante da equipe do Saturday Night Live. E, se estabeleceu como um dos grandes nomes da comédia americana.

Voltando ao filme, subliminarmente o longa é uma metáfora ou, talvez, uma crítica à própria crítica.

Isto porque, no final das contas, Sandy Wexler se dá muito bem.

Ao final, ele passa a ser respeitado pelo que alcançou. Apesar de continuar a ser criticado por muitos, isso não o impede de seguir em frente.

Interpretação

O personagem tem esse perfil de resiliência e essa característica lhe garante a admiração de todos.

O filme que traz a máxima da esperança em uma sociedade cínica. E, essa esperança torna o mundo um lugar mais agradável para viver.

Um personagem com imenso apelo emocional e com um elenco de comediantes de peso, Sandy Wexler acertou em cheio na marca do bom entretenimento.

De fato, pode-se dizer que foi uma reunião dos maiores nomes da comédia americana atual. Não somente comediantes, mas produtores, apresentadores, os maiores influenciadores da cultura de massa americana estavam nesse filme.

Acima de tudo, o filme com Jennifer Hudson e a sua voz incrível. Carismática, bonita e mais do que isso, bom desempenho no papel da cantora-namorada de Sandy Wexler.

Enfim, destarte todo o alarido que se faz contra os filmes de Adam Sandler, por serem água-com-açúcar, bobagem!

Nem tudo tem que ser E o Vento Levou ou Titanic.

Nada melhor do que um bom docinho, de vez em quando, para alegrar o dia.

E, nesse quesito, Adam Sandler é um dos melhores.